Tofu

Hoje, comemorando a nossa semana da riqueza (a primeira semana depois da bolsa),   resolvemos jantar num lugar diferente dos de sempre, e fomos nesse restaurante de tofu que uma amiga tinha comentado, Ume no Hana.

Aposto que tá cheio de gente aí torcendo o nariz pro restaurante de tofu, “ai, tofu? mas é tão sem graça, mas é coisa de vegetariano, mas mimimimi”. Não se preocupem. Vocês são as pessoas que eu não convidaria pra ir. (E ia ser sua perda porque ele era muito legal. Até mais legal do que a gente esperava, e olha que a gente não é fresco e gosta de tofu.)

Pedimos, na nossa riqueza e exuberância, um kaiseki, que é essa sequência de muitos pequenos pratinhos variados, cada um enfeitado num potinho diferente, alguns deles bastante misteriosos. É semana da riqueza mas nem tanto, então pedimos o mais barato da janta (3600 ienes, 36 dinheiros na minha lógica, uns 75 reais na conversão),  e era uma quantidade infinita de pratinhos, que sempre continuavam quando vc achava que já acabou. É claro que nem tudo era tofu, e que nem todo tofu é igual aqueles que a gente conhece. Tirei umas fotos meio tosquinhas porque esqueci de levar a câmera, mas aqui vão:

3 coisinhas que eu não sei bem o que eram mas eram boas. Atrás é a lista de pratos, que trazem num papel todo lindo.

Tofu muito louco com molho, e chawan mushi.

Chawan mushi é tipo um pudim de ovo (soa ruim, mas é bom), com frutos do mar, cogumelos e várias outras coisas que você vai descobrindo dentro. Esse era um pouco diferente dos comuns, muito bom.

yudofu

yudofu

Yudofu é um tofu cozido, geralmente com uns legumes e temperos, tipo uma sopa. Esse era cozido em água de onsen (banhos termais), explicou o garçom. (Todos esperamos que seja na água de onsen não usada.) A mesa tinha um hotplate muito discreto, que ele ligou. Tínhamos que esperar a água ferver e ficar branca, e aí comer com shoyu, gergelim e genbibre, que estão nos potinhos ao lado. Enquanto isso os pratinhos continuaram vindo.

Shumai de tofu (bolinho feito no vapor com recheio de carne, era delicioso)

Coisa muito misteriosa.

Eram dois espetinhos de uma massa parecida com mochi (mas segundo o nome no menu e o google, a base era de glúten). Um era sabor chá, o outro só deus sabe. Esses eram divertidos de comer, mas um pouco estranhos.

salada de tofu com uma coisa crocante muito boa em cima.

Tinha também um tempurá que esqueci de fotografar.

e aí, quando você já está bem cheio... arroz com cogumelos, caldo com tofu, e conservas.

Porque não importa o quanto você já comeu, nunca está alimentado até chegar o arroz.

DUAS opções de sobremesa! Quase 3 centímetros de cada uma!!

O tamanho da sobremesa seria muito deprimente, se isso não fosse exatamente o que você ainda é capaz de comer depois de todo o resto. Era sorvete de castanha portuguesa e cheese-cake. Veio também um chá numa chaleira muito linda que esqueci de fotografar.

E aí depois de postar tudo isso cheia de dedicação a você, caro leitor, descobri que aqui no site deles tem fotos dos kaisekis, inclusive o que pedimos (é o quarto).

Fora a comida, que era muito boa e linda e todo um entretenimento, o restaurante em si era lindo. E gigante. Ficava num andar de restaurantes de uma loja de departamento, mas, naquele jeitinho que só Tóquio tem de desafiar totalmente a sua noção de espaço (vide a rodovíaria que ficava no terceiro andar), o caminho pro banheiro era uma infinidade de mini portas (mini mesmo, tipo de um metro de altura) dando pra uma infinidade de salinhas privadas. E, preparem-se: o papel higiênico tinha estampado um haikai. Sobre flores de ameixeira, que é o nome do restaurante.

Eles também eram muito gentis. Fui com uma amiga que vegan, e eles não só se dispuseram a adaptar o “kaiseki do dia”, que veio muito bem servido, como tiveram a honestidade de falar que o dashi (o caldo que se usa pra tudo) usa peixe, então demoraria mais pra fazer tudo sem ele (ao invés de simplesmente dizer que por causa disso não rola, como costumam fazer.).

Enfim, foi uma janta de rico tão bem sucedida que vim aqui amolar todo mundo com um relato/propaganda infinito. Fica a dica, pessoal.

Advertisements

About Elefante Imaginário

brasileira em tóquio!
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

One Response to Tofu

  1. Adorada Ritinha Khol será que por 75 dinheiros eu gostaria de tofu? Beijinhos Gini
    Já eu, Nique super curti o menu e mais ainda seu relato — mas também sou daquelas que não gosta de tofu — me dá dor de barriga. Beijos! Acabei de ver no you tube o Artur novinho na Velha a Fiar, é um lance no Rá Tim Bum, tentei enviar pra você mas não consegui… A Duna estava com uma espécie de conjuntivite, passei água boricada tres vezes ao dia, sarou! Ela tá ótima, deitadinha aqui do nosso lado, ronronando e mandando beijinhos procê. E nóis também!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s